VANTAGENS PARA OS SINDICALIZADOS E SEUS FAMILIARES

Aos sindicalizados é oferecido um desconto de 50% da taxa de honorários iniciais e um desconto continuado de 15% nos pagamentos mensais (necessários nos casos de obtenção de resultados mensais).

Adicionalmente, aos familiares dos sindicalizados será oferecido um desconto pontual de 50% na taxa de honorários iniciais.

Tendo em vista, ainda, que em muitos casos a condição financeira dos aposentados não é das mais favoráveis, gostaríamos de deixar claro que “cada caso é um caso” e, obviamente, há possibilidade de se chegar a acordos melhores, em casos excepcionais.

ESPECIALIZAÇÃO – ACESSO A MEDICAMENTOS E TRATAMENTOS

No Brasil, por diversos motivos, muitas vezes ocorrem entraves, sejam eles burocráticos ou logísticos, que impedem que oi direito ao acesso a medicamentos e tratamentos sejam plenamente satisfeitos.

No caso do sistema privado, notadamente em relação a planos de saúde, muitas vezes interesses econômicos se sobrepõe às necessidades e obrigações contratuais causando entraves para o bom andamento dos tratamentos médicos necessários.

A situação se agrava quando é relacionada a medicamentos ou tratamentos muito específicos, experimentais, de difícil acesso, ou pura e simplesmente, de custo muito elevado.

Independente das causas, no entanto, a falta de um medicamento ou de um exame, ou mesmo o seu atraso de entrega causa, na maioria das vezes enorme prejuízo, não só em termos de eficácia como por pura e simplesmente intensificar uma dor e sofrimento que poderiam ser mitigados pela medicina.

Por isso torna-se mister a necessidade de se alcançar soluções imediatas, ou, pelo menos, o mais céleres possíveis, para que esses problemas possam ser superados ou minimizados. Muitas vezes, infelizmente, a via jurídica se apresenta como a mais rápida e eficiente, quando não, a única via para resolver essa situação.

Identificando este problema, a PAULON Escritório de Advocacia desenvolveu uma metodologia consistente e confiável para permitir a continuidade do tratamento, muitas vezes mais importante do que batalhar por indenizações, o que pode, e deve ser deixado para uma segunda oportunidade, após a necessidade principal ter sido atendida.

O processo para se assegurar o direito de receber o tratamento geralmente leva entre duas e três semanas junto ao judiciário. Entretanto, muitas vezes isso por si só não garante a entrega do remédio ou o atendimento, pois o mesmo pode simplesmente não estar disponível.

Acontece que o direito ao acesso ao tratamento não está vinculado à sua disponibilidade.

Deste modo, em muitos casos, é necessário que se tomem providências para garantir este direito quando o ente que deveria atendê-lo não o faz, mesmo após determinação judicial.