O advogado sobretudo deve ser um curioso indignado. Curioso para ter a humildade de sempre estudar e indignado para ter a vontade defrontar as injustiças.

João Renato L. Paulon